POR QUE DEUS SE FEZ HOMEM?

por
Pastor Leandro Dorneles
Pastora Fátima Dorneles

"E o verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade" (João 1:14)

Como é linda a história do amor de Deus pela humanidade! Vemos na Sua Palavra (Bíblia) que o Amor demonstrado por Deus pelo homem é algo incompreensível (do ponto de vista humano) e também, inexplicável. Somente aqueles a quem Ele se revelou são capazes de compreender a sua essência e o seu tão grande e infinito poder.

No tão famoso e clássico versículo 16 de João 3, a Bíblia declara que,

"Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho Unigênito para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna"

Nota-se que o Senhor não fez e não faz acepção de pessoas, ao contrário, Ele é tão misericordioso e bom, a ponto de não levar em consideração o tempo de ignorância no qual andávamos na escuridão do pecado, e nos dá uma nova oportunidade de nos achegarmos a Ele, de fazermos um novo pacto, uma nova aliança por meio de Seu Filho Jesus Cristo.

Na verdade, o próprio Deus estava em Cristo, reconciliando o homem Consigo mesmo, daí dizer-se Jesus-Deus. E não havia ninguém melhor do que Jesus para falar de Deus, da mesma forma que ninguém melhor do que o filho para falar do pai, pois o filho é a imagem do pai, é a essência do pai, o resultado, o fruto de um amor.

Quando Deus (na Face de Jesus) se manifestou aos homens, se fazendo carne, a humanidade pôde compreender quem realmente era Ele. Até então, todos viam a Deus como um Juiz temente, irado, santo demais para habitar com os homens. Poucos, como Abraão, Enoque e Elias, tiveram a chance de conhecer Deus mais intimamente, na Sua essência.

O que atraía as pessoas até Jesus (Deus encarnado) não eram somente as Suas Palavras e os Seus Milagres, mas... a Sua Face! O olhar de amor e misericórdia de Jesus constrangia ao mais duro e insensível coração. Era impossível alguém não perceber o Amor de Deus na Face de Jesus, e para aqueles que pensavam encontrar um Deus tirano, indignado, violento, infelizmente Jesus parecia ser o oposto do Deus que tanto esperavam.

A alegria de Deus, ao descer ao nosso mundo, foi na verdade, a alegria do reencontro há muito almejado, desde a queda do homem no Éden.

Às vezes pensamos que quando Adão e Eva caíram, Deus foi quem se afastou deles, porém, a Bíblia fala que foi o oposto. Quando Deus desceu a visitar seus filhos, no Éden, eles simplesmente fugiram e se esconderam de Deus (Gen 3:8). Esse foi o resultado do pecado: achamos que Deus não nos quer perto Dele, por conta de nossos pecados.

E essa imagem errônea ficou tão gravada no coração do homem, que quando Ele veio na forma do Seu Filho Jesus, o homem não o conheceu.

"Estava no mundo, e o mundo foi feito por Ele, e o mundo não o conheceu" (João 1:10)

O que mais deve ter doído no coração de Jesus-Deus, ao descer novamente a Terra, foi ver que seus filhos não o conheciam mais. O Pai encontrou seus filhos sujos (pelo pecado) com as vestes (de santidade) rasgadas; eram mendigos espirituais, filhos órfãos, sem identidade, sem esperança, sem vida.

Foi o homem que se separou de Deus e não Deus que se separou do homem (Rm 3:23). Quem virou o rosto foram os filhos e não o Pai. E ainda assim, o Pai vem e reconcilia-se com seus filhos; já que estes não foram até Ele, Ele vem ao seu encontro! Mas não O conheceram!

O Deus Criador dos céus e da Terra, o qual criou todas as coisas para o Seu louvor, o Deus que consigo habita a perfeição, o poder, a majestade, a honra, a glória, o domínio e tantos outros atributos, se fez homem e habitou no meio da humanidade corrompida pelo pecado. Grande é esse mistério! O Deus Santo, puro, e imaculado viveu por 33 anos junto de seus filhos, mas eles não O conheceram. Estavam tão cegos pelo pecado, que viram a sua Glória, testificaram a manifestação do Seu Poder, mas mesmo assim, endureceram seus corações e não glorificaram a Deus, matando Aquele a quem tanto os amou!

Os homens daquela geração diziam ser impossível viver uma vida reta com Deus. Mas Ele mesmo tomou o lugar de homem e mostrou que sim, que se podia sim viver nesse mundo, não se corromper com o pecado e andar com Deus. Agora não havia mais desculpas! O que Jesus revelou foi que na verdade os filhos se esqueceram do seu pai, se esqueceram da sua casa, de onde vieram, e pior ainda: recusavam-se a querer voltar pra casa.

Os homens no Antigo Testamento tanto almejavam por esse encontro, de ver a Glória de Deus, saber quem Deus era. Sabe por quê? Porque quando nos encontramos com Deus, descobrimos não somente quem Ele é, mas quem nós somos, de onde viemos, e como voltarmos para casa.

Pessoas hoje sofrem, amarguradas por um vazio em seu interior, e não sabem o que é. Elas ficam conjecturando, se estribando no seu próprio entendimento, tentando com isso encontrar um alívio a sua crise existencial, enquanto o segredo é tão simples: Eles precisam voltar pra casa!

A desculpa então se tornara: "Como voltar pra casa?" Onde é a minha casa? De onde eu sou? Por onde ir?

O Pai amado, então se faz carne, e nos mostra o Caminho, sendo Ele mesmo o Caminho (João 14:6), dizendo aos seus filhos: Sigam-me!

Note que Jesus não disse "Ninguém VAI ao Pai senão por mim", mas sim "Ninguém VEM ao Pai senão por mim".

O Caminho é o próprio Deus! O Caminho é Jesus.

Deus fez isso para que o mundo soubesse que não há outro caminho para voltar pra casa, senão por Ele mesmo. Siga os Seus Passos e você chegará ao Lugar da Sua habitação, e voltará para casa.

Deus desceu ao mundo no propósito de levar de volta os Seus Filhos para casa.

A questão agora é: Será que eles querem voltar pra casa?

Muitos meninos e moradores de rua, quando você pergunta se querem voltar para casa, muitos respondem: "Não! Porque se eu voltar pra casa, vou ter horário para dormir, para comer, para entrar pra dentro de casa, vou ter que ser submisso e obediente. Quero ter direitos, mas não deveres. Aqui na rua, eu sou livre!"

Muitas pessoas hoje pensam assim. Estão mendigando espiritualmente nesse mundo, passando por todas as amargas experiências que um morador de rua passa, e quando Deus (o Pai) as convida para voltar pra casa (a Presença de Deus), elas dizem: "Não, se eu voltar pra casa, eu não poderei fazer várias coisas que eu posso fazer aqui na rua, terei regras, terei que ser submisso e obediente, terei muitos direitos, mas não quero ter deveres. Terei que deixar de fazer um monte de coisas erradas que eu faço, e eu quero continuar aqui na rua (pecado, longe de Deus) pois aqui eu sou livre"

Outros ainda, não voltam pra casa (sabendo onde é seu lar) por vergonha, por orgulho de confessar que estavam errados, e talvez acham que não são mais bem vindos ao seio da sua família. Preferem a dor da solidão, vivendo uma pseudoliberdade na qual são infelizes, tentando formar um novo lar (em muitos casos, tendo a plena consciência de que Deus não aprova) a ter que retroceder em algo que o próprio Deus ordenou: "Voltar ao primeiro amor" (Apoc. 2:4-5). Mas eles preferem ficar na rua e permanecerem sujos.

Deus desceu dos céus na forma de Seu Filho Jesus para lavar seus filhos do pecado e lhes dar vestes novas e uma vida em abundância. E quando terminar o tempo da limpeza, Ele virá buscá-los para voltarem pra casa. Os que ficarem sujos e amarem a falsa liberdade da rua, ficarão do lado de fora, porque o Pai não obriga a ninguém a querer voltar pra casa.

Você quer voltar pra casa? Ou quer continuar mendigando na rua?

Você aceita deixar o Pai lhe dar um banho e trocar as suas vestes para que você possa entrar dentro de casa?

Você realmente quer voltar?

"Disse Jesus: Eu (Jesus) sou (tempo presente) o (artigo singular, único) Caminho (que você tanto procura), e a Verdade (que você tanto almeja) e a Vida (que você tanto quer); Ninguém (não há exceção) VEM ao Pai (Que é Ele mesmo) senão (condição sine qua non) por Mim (o próprio Deus)". - João 14:6

Para quê Deus se fez homem?

Para que você e eu pudéssemos voltar pra casa!

Volte pra casa! Antes que as portas se fechem e seja tarde demais!

Deus te abençoe!

2 comentários:

  1. pauloluiz41@hotmail.com

    Humanos X planeta terra.
    Dizem ás religiões que Deus criou o homem para habitar a terra. Penso o seguinte, se Deus existir realmente ele não criaria algo tão pernicioso para destruir a sua obra prima que é este planeta.
    Porque penso assim, é só observarmos as belezas naturais, como a flora e a fauna vejam quanta beleza e equilíbrio existe em todo o sistema. Rios caudalosos, florestas exuberantes, montanhas de raras belezas, veja os animais vivendo no mais perfeito equilíbrio.
    Pergunto, por que Deus criaria o homem em um lugar tão equilibrado e cheio de paz, não há nenhum sentido prático nisso, acho que nós humanos somos intrusos neste paraíso, estamos aqui para deturpar a estabilidade deste reino maravilhoso.
    Veja, estamos destruindo florestas, poluindo rios, mares e oceanos, estamos desequilibrando a vida animal, estamos destruindo a camada de ozônio que protege o planeta dos raios ultra violeta.
    Vocês acreditam que alguém criaria um planeta com tanta beleza, e posteriormente colocaria neste paraíso um destruidor sem escrúpulos como nós! Com toda certeza, fomos criados pela evolução natural ou somos intrusos, vindo de outro planeta perdido nos confins do universo.
    Paulo Luiz Mendonça.

    ResponderExcluir
  2. Prezado amigo Paulo,

    Obrigado por comentar em nosso Blog.

    Entendemos perfeitamente seu sentimento de frustração quando da observação entre o que é belo e maravilhoso (nosso mundo) com o que é corrupto, beligerante e autodestrutivo (o ser humano). Você se questiona por que Deus colocaria o ser humano neste lugar para destruí-lo e aniquilar-se juntamente. A resposta é simples: O homem esqueceu-se do seu propósito e perdeu-se em sua razão de ser porque fora contaminado por algo maior que ele: o pecado. O pecado, do ponto de vista da perfeição da criação é algo essencial, pois revela a essência da liberdade que Deus dotou os seres, pois, sem liberdade, não haveria pecado. A Bíblia diz que toda a criação de Deus (o planeta e os seres que nele habitam, incluindo o homem) fora perfeita e que Deus se agradou do que fez. Porém, repito, não há perfeição sem liberdade e daí porque Deus criou o homem com livre arbítrio. A questão principal é que Deus sabia o que aconteceria desde o princípio e que tudo seria posteriormente destruído. Mas por que Ele permitiu isso? Se entendermos o paradigma de que o mundo natural é mera sombra do mundo espiritual (este sim, substancial), entenderemos que, o que é real não pode ser destruído nem mesmo pelo homem. Em Apocalipse Deus mostra que os novos céus e nova terra hão de vir e materializar-se ante a vida humana, mas somente quando esta estiver purificada. E isso acontecerá em breve. Lembremos que o paraíso (mundo perfeito criado por Deus, o Éden) estava sobre a Terra e dele o homem fora expulso. Então não somos intrusos nesse mundo perfeito que Deus criou e habita porque dele já estamos fora há muito tempo. Deus, portanto, preservou Seu mundo perfeito das mãos do homem que se tornou imperfeito, esperando por seu renascimento e incorruptibilidade oferecidos gratuitamente por Deus na pessoa e obra de Cristo Jesus, para aqueles que Nele crêem e esperam.

    Se o mundo perfeito de Deus fosse este que o olho humano pode enxergar, então certamente seria impossível acreditar em “evolução natural” uma vez que a autodestruição, a meu ver, não é uma evolução, mas um retrocesso. No mundo perfeito de Deus animais não são regidos pela lei do mais forte para preservar o equilíbrio natural das espécies. No mundo perfeito de Deus a vaca e a ursa pastam juntas, e as suas crias juntas se deitam; e o leão come palha como o boi; a criança de peito brinca sobre a toca da áspide e a mulher põe a mão na cova do basilisco. O equilíbrio, no mundo perfeito de Deus está na convivência pacífica, na vida e não na sobrevivência. Se estivéssemos evoluindo caminharíamos para a perfeição, para a paz, para a comunhão e convivência, mas pelo contrário, o que vemos e testificamos é um caminhar para nossa própria extinção, porquanto o homem tem se tornado cada vez mais egoísta, individualista e descrente. E é por isso mesmo que Paulo afirma que: aquilo que o olho não viu, o ouvido não ouviu e não penetrou ao coração humano é o que Deus tem preparado para nós. Cristo também testifica dizendo que deste mundo aparente não ficará pedra sobre pedra que não seja derribada. Ele também afirmou que não pertencia a “este” mundo aparente e que o Criador havia preparado uma morada eterna para nós em Seu Mundo Perfeito que a mente natural não pode contemplar. A beleza e perfeição, portanto, não está no que é aparente e transitório (este mundo), mas no que é real e permanente (o reino de Deus).

    Busquemos, pois, entrar neste novo mundo, no paraíso de que um dia fomos expulsos mas que em Cristo Jesus temos a oportunidade de voltar.

    Deus te abençoe!!!

    Abraços!


    Pr. Leandro Dorneles
    Pra. Fátima Dorneles

    Ministério Tabernáculo do Leão da Tribo de Judá - Salvador/BA

    ResponderExcluir